O espetáculo Disabled Theater começa com uma instrução perturbadora dada pelo coreógrafo a cada um dos artistas

Jovem com deficiências mentais fazendo uma atuação em cima de um palco de teatro

INTERNACIONAL: O Theater HORA, grupo de teatro profissional suíço formado por deficientes mentais, é uma das revelações esse ano do Festival de Avignon. Dirigidos pelo coreógrafo francês Jerôme Bel, os 11 atores e atrizes em cena propõem uma reflexão sobre a diferença e sobre nossa capacidade em se relacionar com «o outro».
O espetáculo Disabled Theater começa com uma instrução perturbadora dada pelo coreógrafo a cada um dos artistas: entrar no palco e olhar fixamente o público durante 1 minuto. Inicia-se aí uma viagem de uma hora e meia de descoberta de um mundo singular pelos espectadores. Os artistas, todos com  deficiências intelectuais, nos embarcam em sensações até então desconhecidas, com muito humor e sensibilidade.

Fundado em Zurique em 1993, o Theater HORA é um grupo totalmente profissional: os artistas recebem salários e já têm uma tournée fechada de espetáculos até o final do ano. A proposta da companhia não é uma terapia ocupacional para os deficientes e sim uma maneira de mostrar o talento dessas pessoas a um público cada vez mais abrangente.

Teatro Profissional

Os artistas, que têm entre 18 e 51 anos de idade – 7 deles com Síndrome de Down – apresentam atualmente por toda a Europa, adaptações de peças de Shakespeare e textos de Fellini. O espetáculo em cartaz no Festival de Avignon, é uma criação coletiva, onde cada artista fala livremente de sua própria percepção de sua deficiência.


Disable Theater é pontuado por muitos momentos de humor, mas os artistas não poupam constrangimentos à plateia quando dão, em cena, o testemunho subjetivo sobre o espetáculo. Um deles lembra que sua irmã chorou, pois achou que eles estavam sendo considerados como animais de circo. Outro cita a percepção de sua mãe que viu o espetáculo como um «Freak show», embora tenha gostado. Uma jovem emociona quando, ao se apresentar, diz simplesmente : «Eu tenho Síndrome de Down e eu sinto muito».

«Eles revelam nossas próprias fragilidades»

A experiência com o Theater HORA é a continuidade do trabalho desenvolvido há 14 anos pelo coreógrafo Jerôme Bel. Ele se interessa particularmente pelo que existe «além da apresentação». Desde 2004, ele produz «documentários teatrais», ou seja, coloca em cena um bailarino ou bailarina, que explicam ao público de maneira subjetiva o que é o seu trabalho. «Eu peço aos intérpretes para eles encarnarem eles mesmos em cena», explica o coreógrafo.

Nesse sentido, o trabalho com o grupo suíço proporcionou um enriquecimento na pesquisa coreográfica de Jerôme Bel. Os artistas deficientes mentais reagem de maneira tão livre que perturbam nossa compreensão do outro e mexem com todas as convenções teatrais. “Seus corpos e gestos tão singulares, suas falhas e suas sensibilidades nos revelam, como num espelho, nossas próprias fragilidades e fraquezas” – resume Bel.

Para o coreógrafo francês, esses artistas, desvalorizados pela sociedade normativa, podem, com sua espontaneidade e intensidade, enriquecer o teatro e a dança experimental. E, em última instância, enriquecer a sociedade como um todo.

Disable Theater está em cartaz no Festival de Avignon até 15 de julho próximo. A partir de setembro, segue em tournée pela Europa : o grupo fará dois espetáculos na Documenta de Kassel em Essen e se apresenta ainda em Genebra, Zurique, Mainz, Paris e Berlim.

Fonte: http://www.portugues.rfi.fr/geral/20120710-espetaculo-com-deficientes-mentais-conquista-o-publico-em-avignon